A Orquestra

O Projecto

A Orquestra Sem Fronteiras tem sede em Idanha-a-Nova e existe para apoiar e fixar o talento jovem no interior do país, combatendo o abandono do ensino da música, premiando o mérito académico e promovendo a participação cultural em territórios de baixa densidade populacional.

Neste âmbito, a OSF apresenta-se em dezenas de localidades, sobretudo no interior raiano, oferecendo concertos, palestras, ensaios abertos e outras acções de pedagogia e introdução à música às populações locais.

No sentido de aprofundar o seu impacto, a OSF desenvolve projectos anuais de música em comunidade, privilegiando a ligação a comunidades, escolas e outras realidades sociais no interior do nosso país.

Por último, a OSF promove valores de cooperação e integração transfronteiriça, tendo por várias ocasiões a oportunidade de combinar, lado a lado, músicos portugueses e espanhóis, numa programação que está representada de ambos os lados da fronteira.

No seu todo, a OSF tem como matriz a criação de oportunidades de participação e fruição cultural, fortalecendo o ecossistema social, económico e cultural do nosso país e contribuindo para a diminuição das assimetrias geográficas.

Pelo reconhecimento da importância da sua missão, a OSF tem desde 2019 o estatuto de utilidade pública cultural.

Em 2022, a OSF foi a vencedora do Prémio Carlos Magno para a Juventude, o mais importante prémio europeu para a juventude, promovido pelo Parlamento Europeu e escolhido entre 455 candidatos de todos os estados-membros da União Europeia.

Em 2022, a OSF venceu também o Prémio Carlos Pontes de Leça da Fundação Mirpuri, e obteve uma menção honrosa no Prémio Portugal Justo, da Fundação António Manuel da Mota.

Desde a sua fundação, em Março de 2019, a OSF já se apresentou em mais de uma centena de ocasiões, apoiando mais de 250 jovens músicos e chegando a vários milhares de pessoas em zonas de baixa densidade populacional.

A Orquestra

Como Participar

A seleção e apuramento dos músicos da OSF faz-se de duas formas, partindo do pressuposto que sejam naturais do interior ou aí tenham residência:

  • para os alunos de Conservatórios ou Escolas Profissionais, enquanto estabelecimentos de ensino onde há uma tutela directa dos docentes sobre os alunos, e onde estes são geralmente menores de idade, após contacto por parte da OSF, cada escola propõe os alunos cujo corpo docente entendeu mais meritórios de integrar cada projecto específico;
  • para os alunos do ensino superior, enquanto maiores de idade e detentores do direito à livre associação, a OSF encoraja e está disponível para a qualquer momento receber e registar audições digitais, devendo para isso ser enviado um contacto para info@osf.pt;
  • todos os jovens músicos naturais e/ou residentes no interior cujos estudos tenham sido concluídos ou interrompidos são também encorajados a entrar em contacto connosco, sendo igualmente possível a sua incorporação na programação da orquestra.

Critérios

Privilegia-se um critério de rotatividade, de forma a poder abranger com o nosso apoio o máximo de alunos possível. Por esta razão, os alunos participantes num determinado projecto poderão ter de ficar de fora nos seguintes, por forma a integrarmos novos músicos.

Para participar num projecto, é necessária a leitura e aceitação do nosso Regulamento, assim como uma comunicação eficiente com a OSF e, em casos aplicáveis, com a escola em questão.

A Orquestra

Quem Somos